Tópicos relacionados com Internet

Blockchain

O ano de 2017 foi o grande ano das criptomoedas. A Bitcoin cresceu imenso e, cada vez mais, surgem outras moedas que também querem ganhar espaço. No entanto, para muita gente, o Mundo das criptomoedas é algo extremamente complexo e difícil de compreender.

Mas de onde é que vêm estas moedas? Como é funcionam as transferências? Estas são das perguntas mais frequentes, mas antes de procurar resposta para elas, deve entender a tecnologia Blockchain e o seu funcionamento. As criptomoedas podem ser confusas, sem dúvida, mas se entender os conceitos por detrás do Blockchain está no caminho certo.

De onde é que vem o Blockchain?

Apesar da tecnologia Blockchain se ter tornado famosa apenas há alguns anos, a sua origem começa nos anos 70Um artigo científico publicado em 1976 apresentou pela primeira vez a ideia de registo distribuído e que, basicamente, é a ideia por detrás do Blockchain.

No entanto, foram necessárias mais algumas décadas, o poder de processamento dos computadores atuais e uma moeda virtual chamada Bitcoin para que o Blockchain se tornasse a tecnologia importante que é hoje.

A Bitcoin, criação de Satoshi Nakamoto, apareceu pela primeira vez em 2009 e com ela chegou também o Blockchain. Com o aparecimento desta criptomoeda e graças ao Blockchain, passou a ser possível fazer transferências sem interferências e de forma extremamente segura.

O que é o Blockchain?

Blockchain é um registo digital que é incorruptível e que pode ser programado para registar transações financeiras ou algo que tenha valor virtual.

Imagine uma folha de cálculo do Excel que é duplicada milhares de vezes através de uma rede de computadores que está espalhada por todo o Mundo. Agora imagine que essa rede foi desenvolvida para ser atualizada regularmente e registar qualquer alteração que ocorra.

Pronto, aqui tem! Este é o conceito de Blockchain.

A informação guardada num Blockchain existe como uma grande base de dados partilhada e que está sempre a atualizar e a ser alterada, pois a informação que contem também é modificada. Obviamente, esta forma de uso tem as suas vantagens.

A base de dados blockchain não se encontra guardada em nenhuma localização específica, o que significa que os registos que mantém são verdadeiramente públicos e fáceis de verificar. Para além disso, não existe nenhuma versão centralizada da informação que guarda, o que significa que não pode ser alterada por qualquer hacker que tente atacar o sistema. Finalmente, pode ser acedida por qualquer pessoa com acesso à Internet.


A Bitcoin e o Blockchain

A Bitcoin é uma moeda virtual, também conhecida como criptomoeda, que é descentralizada, ou seja, não existe nenhuma autoridade reguladora, e permite aos utilizadores realizar transferências sem a intervenção de terceiros.

Deste modo, todas as transações de Bitcoin são guardadas e mantidas numa base de dados pública que preserva a sua autenticidade e ajuda a prevenir fraudes. A tecnologia que permite a realização destas transações e que elimina a necessidade de um intermediário chama-se Blockchain.

Agora, evocando os conhecimentos que obteve dos parágrafos anteriores, é fácil de perceber que um dos principais benefícios de usar a tecnologia Blockchain no contexto da Bitcoin reside na transparência que providencia, dado que todas as transações ficam guardadas para sempre.

Sempre que ocorre uma transação, os seus detalhes são adicionados a um bloco que contém transações do mesmo tipo e que foram submetidas recentemente. A validade dessas transações é depois verificada e confirmada pelos mineiros.

Quando essa verificação é concluída e tudo está correto, o bloco que contem as transações é anexado ao mais recente bloco que se encontra na cadeia de blocos, criando assim um registo que pode ser visto por qualquer pessoa, ou seja, o Blockchain.

Assim, este processo continua perpetuamente e cria-se um registo de confiança e que guarda todas as transações que são efetuadas.


A encriptação por detrás da Bitcoin

A Bitcoin é uma moeda digital que utiliza criptografia de chave pública, ou seja, existe uma chave privada e uma chave pública ligadas matematicamente que permitem controlar e gastar as Bitcoins que estão associadas a uma determinada carteira.

Se um utilizador não tiver na sua posse as chaves privadas então não possui Bitcoins. Isto porque é esta chave única que permite gastar/enviar Bitcoins. Cada carteira de Bitcoins contém uma ou mais chaves privadas. Estas chaves privadas estão ligadas aos endereços de Bitcoin que, por sua vez, estão associados a uma determinada carteira.

As chaves privadas são também utilizadas para tornar as transações irreversíveis. Esta irreversibilidade é garantida pelas “assinaturas” matemáticas que estão associadas a cada transação. E é aqui que entra o conceito de chave pública.

Sempre que uma transação é efetuada, uma chave pública é derivada a partir da chave privada para assinar a transação. Isto acontece para não ser necessário revelar a chave privada. Assim, para cada transação estas assinaturas são únicas, mesmo que sejam geradas a partir da mesma chave privada.

E aqui está um pormenor interessante: devido às funções matemáticas utilizadas é impossível derivar as chaves privadas a partir das chaves públicas geradas.

Uma vez que a transação é verificada, as Bitcoins são enviadas para o endereço público do recetor das Bitcoins, que é o código que está associado a cada carteira que existe e a transação é adicionada ao Blockchain.


O Blockchain não serve apenas para criptomoedas…

Para já, é necessário que autoridades centrais confiem umas nas outras e sigam os termos especificados nos contratos, mas com o Blockchain é possível garantir de forma automática que a transparência entre parceiros se mantém e que a confiança não é quebrada.

Essa é a grande inovação do Blockchain.

Assim, o Blockchain pode, no futuro, vir a ser utilizado para manter e guardar uma enorme variedade de informação. Por exemplo, organizações que estão a tentar implementar projetos de votação eletrónica usam o Blockchain para tornar o processo mais seguro e garantir que a informação não é alterada.

Sem dúvida, um dia, o Blockchain poderá vir a ter um impacto tão grande no Mundo como a Internet.Mudar o estado das coisas e ajudar criar um sistema financeiro melhor seria algo incrível.