Conferência RTP Universidade Minho

"The world is ruled by the TV" – já dizia Jim Morrison. Esta quinta-feira, também o director da RTP N defendia isso. No fundo, ele diz que as coisas só ficam visíveis e se tornam notícia quando aparecem na televisão. O irónico é que eu não vejo televisão e apesar de contrariado, continuo a estar a par do que se passa no mundo. Talvez por causa da Internet, fenómeno "carrasco de olhos" que atinje a maioria dos jovens universitários frustrados como eu. Mas mesmo frustrado, às vezes vejo uma luz, talvez quando estou na praia, e vejo o sol a pousar na água, que substitui certamente qualquer canal de televisão, porque ao menos estou a viver a minha realidade, e não a dos outros. Aprecio também o sol, mais do que a televisão, porque tendo a preservar aquilo que um dia vai acabar, de certa forma, as televisões nunca vão acabar, vão-se expandir, a praia…algumas delas já acabaram.
Mas voltando à conferência, ficam as intenções dos senhores da televisão…conjugar a televisão com a Internet, RTP Mobile, pôr televisão a dar na net, nas paragens de autocarro, no autocarro, nas casas de banho…enfim. Caso para se dizer…só se está bem mesmo na água! Por isso, esperem no futuro, por uns ecrãs a correr atrás e à frente dos vossos olhos, até vos porem cegos o suficiente para não conseguirem encarar a luz do sol. Esperem por um National Geographic com lagartos robóticos, realities-shows em que cada um não sai de casa e vê, beija, sente o próximo ecrã para ecrã, e em que o Cupido cede o seu lugar ao Creative (marca da minha webcam estúpida). Esperem por aprender tudo através do computador e do e-learning, e também pela televisão, e serem inundados por GB de informação, manuais, interactividade. Quando finalmente decidirmos fazer uma actividade real lá fora, não vamos lembrar de qual…ou melhor, estamos obesos demais para descer as escadas.