Comandos Linux para Totós – Tutorial nº14

Comandos Linux para Totós – Tutorial nº14

Criado por Pedro Pinto em 20 de Setembro de 2011 | 14 comentários

Aprenda a criar alias

Ora vivam caros linuxianos!!! Cá estamos nós para mais uma rubrica “Comandos Linux para Totós”. Pelo feedback que temos tido de muitos leitores sobre esta rubrica, concluímos que esta “pequena” documentação sobre Linux tem ajudado muitos a darem os primeiros passos no mundo do terminal preto. Era esse o nosso objectivo e ficamos muito satisfeitos com todos os comentários. Não se esqueçam que podem enviar as vossas dicas por e-mail para serem publicadas.

O terminal preto está pronto? Let’s go…

totos

Depois de na última rubrica termos aprendido a criar utilizadores através da linha de comandos (ver aqui) fica já definido que nos próximos artigos iremos ensinar a criar grupos e a perceber a informação contida no ficheiro que mantém o registo dos utilizadores.

Para um utilizador que usa frequentemente a linha de comandos é normal usar o mesmo comando, com os respectivos parâmetros, várias vezes nas suas sessões. Por vezes, os comandos podem tornam-se “complexos” e extensos e nesse momento nada melhor que criar um alias para simplificar a invocação do comando.

De uma forma geral, e no contexto do terminal de comandos linux, um alias é um nome “amigável” que podemos atribuir para invocar um comando complicado de decorar ou então um comando extenso.

Sintaxe do alias
alias novo_nome='comando'

Vamos considerar o seguinte comando como exemplo:

sed -e "s/pedro/Pedro/g" < entrada.txt > saída.txt

E se fosse possível invocar o comando seguinte escrevendo no terminal, por exemplo, apenas sedpp. Para tal, basta criar o seguinte alias:

alias sedpp=’sed -e "s/pedro/Pedro/g" < entrada.txt > saída.txt'

Desta forma, além de ser possível introduzir todo o comando referido, podemos apenas invocar o mesmo, escrevendo sedpp.

No linux existe o ficheiro .bashrc onde podemos guardar de forma permanente todos alias criados. Assim, mesmo que façamos restart ao sistema, a informação sobre os alias criados não é perdida.

Exemplo do ficheiro .bashrc (para quem quiser editar o ficheiro pode usar o comando vi .bashrc)

# .bashrc
# User specific aliases and functions
alias rm='rm -i'
alias cp='cp -i'
alias mv='mv –i'   alias sedpp=’sed -e "s/pedro/Pedro/g" < entrada.txt > saída.txt'   # Source global definitions
if [ -f /etc/bashrc ]; then
. /etc/bashrc
fi

Fácil não é? Ficamos agora a espera da vossa parte de alguns alias que acham que seriam interessantes de criar no terminal linux.

E se eu pretende-se apenas escrever ‘e’ para desligar o sistema?

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s