Android Walkie-Talkie

Transforme o seu Android e iPhone num Walkie-Talkie

Criado por Vítor M. em 29 de Janeiro de 2011 | 59 comentários

Há uns largos anos atrás, quando frequentava os escuteiros, os Walkie-Talkies eram gadgets de extrema utilidade para estabelecer comunicação nos acampamentos e nas actividades de exterior. Depois veio o hype dos ‘bips’ que permitiam trocar mensagens entre equipamentos, até que se deu o “boom” dos telemóveis .

Mas os Walkie-Talkie continuam a ser uma prática e barata solução de comunicação entre pessoas distantes. Não é comum por cá estas duas tecnologias coabitarem no mesmo equipamento, mas existem alguns países onde um telemóvel tem também a opção walkie-talkie.

Foi então que me lembrei de pesquisar para verificar se existia alguma aplicação para iPhone ou Android que transformasse o smartphone um Walkie-Talkie. Afinal, parece que existe algo muito interessante, oHeyTell.

HeyTell Voice Messenger é uma aplicação multi-plataforma que permite estabelecer uma conversa em modo instantâneo com amigos e familiares. É simples e rápida de utilizar pois evita qualquer registo ou conta, assim, basta instalar, escolher o contacto e clicar no botão para começar a falar!

O serviço baseia-se na identificação de ambos os lados deste “circuito”, dando a conhecer quem dos nossos contactos já instalou a aplicação.

Para “ajudar” a propagar este serviço, podemos escolher a pessoa que gostaríamos de conversar e, caso ela nao tenha instalada esta aplicação, enviaremos uma mensagem por SMS e/ou por email. Nessa mensagem está o link para descarregarem e instalarem o HeyTell.

Depois de instalada, esta ferramenta permite enviar e receber mensagens de voz, imitando assim a comunicação unidireccional dos walkies-talkies.

Premimos o botão, falamos e largamos o botão. De imediato a mensagem de voz será enviada ao outro extremo da conversa e será reproduzida. Deste modo podem ser trocadas mensagens de som entre smartphones a custo zero!

Assim podemos enviar…

  • Mensagens de voz mais rápidas de produzir do que um SMS e gratuitamente!
  • Dados em pacotes muito pequenos, como se estivéssemos a enviar mail
  • Mensagens que podem ser enviadas via 3G, EDGE ou Wi-Fi
  • Som com qualidade áudio superior: cada pacote de som entregue a 16 kHz, tem duas vezes mais qualidade do que uma chamada de telemóvel
  • Uma mensagem de resposta quando somos alertados por notificações Push (os alertas deverão estar activos para receber em tempo real a notificação que alguém o está a contactar).

Conforme podemos ver no primeiro screen da aplicação, acima, esta permite que o estado de acessibilidade seja personalizado, conforme a preferência de cada pessoa. Isto evita que sejamos importunados por alguém que não queremos contactar ou que em determinados locais alguém nos interrompa.

A aplicação permite alguns outros pormenores “de classe”. Podemos criar uma lista de pessoas que usualmente contactamos por este meio, são os Favoritos.

Quando utilizamos este serviço, as mensagens enviadas e recebidas são guardadas no smartphone, constituindo um “histórico” de conversação. Essa funcionalidade é muito interessantes pois assemelha-se ao histórico de conversas tidas nos IM’s e que podem ser enviadas ou partilhadas vias email ou Facebook! Como medida de segurança e de privacidade, apenas podem ser exportadas as falas que o próprio utilizador faz. As falas dos seus contactos não podem ser exportadas.

Além destas funcionalidades, podemos “mostrar” ao nosso contacto onde estamos e qual é a nossa posição geográfica actual. Este recurso é muito comum mas também pode ser interessante para geo-referenciar alguma mensagem nossa importante e que seja guardada no tempo. Esta função pode ser desligada para omitir a nossa localização, se for este o nosso desejo.

As mensagens enviadas e recebidas são encriptadas no trânsito das mesmas, recorrendo a um serviço de encriptação da empresa que promove esta ferramenta. Podemos posteriormente apagá-las.

Em resumo…

Esta aplicação tem apenas um senão: o consumo de energia. Não é nada de extravagante mas a aplicação está sempre “à espera”, estando em segundo plano a consumir. No iPhone não foi nada de extraordinário, no entanto no Android notou-se esse consumo.

Se tivermos em conta que podemos gravar a mensagem e enviar, e que podemos por voz ser muito mais rápidos do que por texto… tudo de forma gratuita… (não sendo nada de especial usando sobre 3G), então poderá ser a melhor forma de comunicar offline. Use e deixe a sua opinião!

Licença: Freeware
Sistemas Operativos: iOS/Android
Download [ios]: HeyTell 2.1.2 [2.5 MB]


Download [android – .apk]: HeyTell 1.0.16.149 [1.06 MB]
Homepage: HeyTell

Network Scanner

Network Scanner – Quem estará ligado à minha rede?

Criado por Vítor M. em 29 de Janeiro de 2011 | 11 comentários

Este software é muito interessante e tenho-o sugerido a algumas pessoas que “desconfiam” que alguém está “pendurado” na sua rede sem autorização. O mais recente caso foi a um conhecido que tem “net à borla” no seu estabelecimento e desconfia que há mais pessoas ligadas no serviço do que clientes presentes no estabelecimento.

O Network Scanner, agora na versão 5, é daquelas aplicações para colocar na pasta de aplicações favoritas, uma vez que consegue descobrir todos os equipamentos (que tenham IP, ex. PC’s, smartphones, impressoras, etc), numa determinada rede.

Esta aplicação, como é simples de usar, pode ser uma boa ajuda. Em poucos minutos podes saber muita informação sobre a sua rede e quem por lá anda. Como podem ver pela imagem inicial, realizei um pequeno teste na minha rede e a aplicação conseguiu detectar PC’s, consolas, Box de TV e um smartphone. Apenas é necessário definir qual a gama de endereços a percorrer (No exemplo apresentado defini com range desde o 192.168.1.1 – 192.168.1.254), e a aplicação encarrega-se de fazer o resto.

Existem no mercado outras ferramentas mais profissionais como é o exemplo do Wireshark, Dude, entre outras, no entanto o SoftPerfect Network Scanner pode ser usada numa primeira instância para uma análise simplificada.

Com esta aplicação pode vasculhar a rede onde se encontra, obtendo diversa informação útil para qualquer administrador ou simples curioso.

Por exemplo saiba os IP’s das máquinas que fazem parte da sua rede, quais as pastas e impressoras que partilha, que portas pode encontrar abertas em cada posto, os MAC Address de cada máquina, os serviços SNMP, o sistema operativo, partilhas administrativas, entre muita outra informação.

Além disso pode encerrar e hibernar qualquer máquina da sua rede , pode ter acesso directo às pastas partilhadas, pode inclusive identificar as portas de comunicação com o exterior (modem, router)

Enfim, mais uma ferramenta que não necessita de instalação, pouco pesa numa penUSB e dá-lhe informação rica para o seu trabalho diário.

Para os mais atrevidos/marotos, esta é uma excelente ferramenta para sacar uns filmes, documentos, músicas dos computadores dos colegas quando se encontram todos na mesma rede e por vezes se esquecem das pastas partilhadas :)

Principais características
  • Ping a computadores
  • Não necessita de privilégios administrativos
  • Detecta pastas escondidas partilhadas e pasta partilhadas com acesso de escrita
  • Informa do nosso IP interno e externo
  • Faz scan as portas TCP e serviços SNMP
  • Possibilidade de relatórios (HTML, XML, CSV e TXT)
  • Suporta para Wake-on-LAN, shutdown remoto e envio de mensagens via Internet
  • Não necessita de instalação
Alterações na versão:

Veja todas as alterações aqui no changelog.

altLicença: Freeware
altSistemas Operativos: Windows 2k/XP/Vista/Win7
altDownload: SoftPerfect Network Scanner 5.1.1 [709.00KB]
altDownload: Manual Online
altHomepage: SoftPerfect

ASP.NET–Área Administrativa

ASP.NET – Área Administrativa

Criado por Henrique Graça em 26 de Janeiro de 2011 | 1 comentário

Estamos de volta com mais um tutorial sobre ASP.NET. Hoje iremos começar a criar a área de administração do nosso site. Vamos poder criar empresas, localidades, apagar comentários, ver votações, etc.. Fiquem atentos e participem neste brainstorming de programação.

No último tutorial criamos o nosso modelo de dados e definimos os níveis de acesso da aplicação. Com a definição desses níveis é agora possível adicionar funcionalidades que apenas estão disponíveis para os administradores do nosso site.

1.Administração

Vamos começar por adicionar uma nova páginas por cada tabela na nossa entidade dentro da pasta admin, para assim essas páginas ficarem apenas visíveis a utilizadores com perfil Admin. Estas novas páginas têm de referenciar a master page “Site.Master”.

No final iremos ficar com estas páginas.

De seguida vamos editar a página Empresas.aspx . Adicionamos um titulo, um parágrafo e um Panel, este último irá conter a GridView. O Panel servirá para possibilitar o scroll quando a grid se expande no modo de edição.

Vamos adicionar uma gridView e coloca-la dentro do panel:

De seguida entramos no mode de design e adicionamos uma EntityDataSource à GridView com o nome ”EntityDataSourceEmpresas”, configuramos a ligação e escolhemos como entidade a Tabela Empresas. Marcar todas as checkboxes.

De seguida seleccionamos todo o texto “Criar empresa” e carregamos no icone “Convert to Hyperlink” e escolhemos a página de destino “Create_Empresa.aspx”, ou então no código adicionamos uma tag “<a>” com href para a página.

Vamos abrir a página Create_Empresa.aspx. Nesta página vamos adicionar um titulo, um link que permite voltar à lista de empresas e uma form que vai permitir adicionar os novos valores para uma empresa. Para esta form é adicionada uma nova EntityDataSource, tal e qual como foi configurada anteriormente. Vamos colocar a opção por defeito da form como insert.

De seguida vamos editar o template de insert da nossa form e vamos adicionar uma dropDownList que irá conter as localidades existentes na base de dados. Criamos uma nova entityDatasource que irá apontar para a tabela localidades.  Definimos o Display com a propriedade “Nome” e o value com a propriedade “Id”.

Depois editamos os databindings da dropDownlist e colocamos como binding do SelectedValue a propriedade que faz Bind com a tabela Empresas, neste caso a LocalidadeId. Adicionamos um campo oculto que vai conter a Data de criação do registo.

Para inserirmos a data de criação de registo podemos fazê-lo na base de dados com um campo default ou um trigger. Neste caso vamos fazê-lo no evento ItemInserting do form, onde colocamos o valor da data actual no campo DataCriacao.

Para podermos ver estas alterações em funcionamento, vamos criar os novos items no nosso menu de navegação. Vamos abrir a master page, “Site.Master”

Como podemos ver estas novas páginas foram colocadas num sub-menu do menu Admin. Vamos correr a nossa aplicação e testar as novas funcionalidades. Depois de fazer o login, podemos verificar os novos itens no menu.

Escolhemos a opção Empresas e vemos a nossa lista de empresas ( estão no projecto os inserts necessáros para criar as empresas e localidades). Neste ecrã podemos editar, criar e apagar empresas. Ao escolhermos a opção criar empresa, somos redireccionados para a página de criação. Onde podemos preencher os campos necessários e conseguimos ver uma lista de Localidades.

2. Conclusão

Por hoje damos o tutorial por terminado. No próximo tutorial vamos terminar as nossas páginas e começar a tratar do layout. Em baixo podem fazer download do projecto (Visual Studio 2010). Caso tenham alguma questão já sabem, deixem um comentário em baixo.

Download: GoodToWork [ 331Kb ]

Cloud Computing

Cloud Computing – O Futuro da Computação

Criado por Vítor M. em 25 de Janeiro de 2011 | 9 comentários

Por Hugo Sousa para o PPLWARE.COM
O conceito Cloud Computing é um dos conceitos em destaque nas TI. Está em marcha uma onda concertada para massificar a utilização da computação na nuvem, vulgo Cloud Computing.

Mas o que é o Cloud Computing?

Hoje em dia emergem cada vez mais serviços na Cloud, abrangendo variados tipos de serviço, desde aplicação, armazenamento até serviços de correio electrónico.

Este será a primeira de três partes de um artigo que explicará esta tecnologia emergente, esperando conseguir a vossa atenção para este tema.

A Cloud

Embora pareça ser uma tecnologia recente, não o é. Esta tecnologia começou a ser investigada em 1960 por John McCarthy, grande impulsionador desta tecnologia. Tendo em conta que o início desta investigação começou já  há cerca de 40 anos, o seu sucesso é mais recente, tendo a Amazon um papel importantíssimo na sua evolução. Em termos comparativos sem esta tecnologia a Amazon apenas utilizava 10% da sua capacidade, deixando espaço para a potencial ocorrência de picos ocasionais.

A partir de 2007, grandes empresas como a Google, Microsoft e IMB vêm desenvolvendo várias pesquisas nesta tecnologia, conseguindo um crescimento brutal.

O Que é o Cloud Computing?

Consiste na gestão e oferta de aplicações, dados e informação como um serviço, que é fornecido pela Internet. Este serviço fornece a utilização de memória, armazenamento e cálculo através de computadores e servidores partilhados e interligados pela rede.

Este serviço pode ser utilizado em qualquer lugar, a qualquer altura, sem necessidade de Hardware específico e sem necessidade de armazenamento. Sendo o pressuposto desta tecnologia o acesso rápido e fácil através da rede.

Exemplos de Serviços Cloud

Hoje em dia emergem cada vez mais serviços na Cloud, abrangendo variados tipos de serviço, desde aplicação, armazenamento até serviços de correio electrónico.

Armazenamento de Dados:

Um dos serviços que cresceu com o Cloud Computing foi o armazenamento de dados na internet. Este serviço é bastante interessante porque permite guardar ficheiros como música, vídeos, imagens e documentos on-line, permitindo o seu acesso em qualquer lugar e a qualquer hora. Em termos de segurança, estes serviços garantem mecanismos para que cada utilizador aceda apenas aos seus ficheiros, não a ficheiros de outros utilizadores.

Alguns exemplos são o S3 da Amazon, o SkyDrive da Microsoft, o Dropbox, o Humyo, entre outros, havendo alguns serviços que são pagos e outros que são disponibilizados gratuitamente.

Trabalho Corporativo:

Há ocasiões em que, quando criamos um documento, precisamos da opinião dos nossos colegas quer seja no trabalho ou nos estudos. O correio electrónico é uma opção mais demorada porque têm de enviar o documento e esperar resposta, e assim sucessivamente até existir um acordo.

Este serviço vem alterar isso, pois oferece aos utilizadores uma forma de tornar essa tarefa mais simples. Este serviço permite a um grupo de utilizadores trabalharem num mesmo documento ou projecto em tempo real, tornando o que, pelo método de envio de e-mails, demoraria dias ou semanas, simples e rápido, ficando pronto em algumas horas. A empresa Google foi a pioneira neste tipo de serviços criando, em 2009, o Google Wave.

Alguns exemplos são como referidos, o Google Wave, Spicebird, Mikogo, Stikxy, Vyew, entre outros.

Escritório Virtual:

Ao invés do incómodo que é instalar os programas necessários para criar documentos de texto, apresentações, documentos de cálculo, entre outros, trabalhar com estas aplicações na internet é uma inovação fantástica. As principais vantagens destes serviços são a acessibilidade, o armazenamento na rede, potenciar o trabalho corporativo e, principalmente, a inexistência de aplicações no nosso computador.

Alguns dos exemplos destes serviços são o Google Docs, Ajax13, ThinkThree e o Microsoft Office Live.

Poder de Processamento:

Já pensou ter servidores, aplicações, equipamentos de rede, entre outros sem a necessidade de os comprar, e tudo num só serviço na rede? Estes serviços permitem ao utilizador, sempre que precise de processamento extra, ter acesso ao mesmo num só local na rede.

Alguns exemplos destes serviços são o Windows Azure da Microsoft, o EC2 da Amazon EC2, o AbiCloud, Elastichosts e o serviço Nebula da NASA.

Segurança na Cloud:

Dois grandes serviços de segurança na Cloud são o Cloud Email Protection e o Cloud Internet Protection, ambos da empresa Panda. O Cloud Email Protection tem como objectivo a gestão de utilizadores e sincronização de dados via LDAP e SMTP.

O Cloud Internet Protection tem como objectivo a monotorização e controlo de protocolos P2P, e ainda disponibiliza protecção contra falhas dos browsers.

Este será um assunto a explorar nos próximos dias. Espero que tenham gostado desta primeira parte, bem como que tenham ficado curiosos sobre as próximas partes deste artigo.

Qualquer sugestão que queiram dar, estejam à vontade.

Artigos relacionados:

Office Live Files

Office Live Files – Office integrado a 100%

Criado por Pedro Simões em 25 de Janeiro de 2011 | 1 comentário

Estamos a atravessar uma era em que estamos a mudar do conforto dos nossos PC’s para a incerteza e vastidão da Internet. Cada vez mais os serviços e funções estão a desmaterializar-se dos nossos computadores e passam a estar disponíveis na Cloud.

Exemplo perfeito disso é a caminhada que as suites de produtividade estão a ter. Algumas delas nasceram directamente na Web e as que eram nativas dos PC’s estão a migrar lentamente para lá e a espalharem-se pela nuvem. O ideal para esta transição e mudança é termos softwares que nos permitam usar o melhor destes dois mundos ou pelo menos que permitam uma passagem gradual. O Offisync permite já esta funcionalidade e integra o Office com o Google Docs. Aparece agora o Office Live Files que faz o mesmo, mas entre o serviço Live da Microsoft e a sua suite de produtividade.

Este add-on para Office vai permitir que tenham acesso a todos os ficheiros que têm gravados no serviço Live da Microsoft e editá-los de forma simples e confortável no vosso Office.

Depois de instalado passam a ter mais essa opção nos menus disponibilizados na Ribbon. Ao acederem é aberto uma nova janela onde devem autenticar-se com as credenciais de acesso ao serviço Live e ai dentro vão conseguir navegar nas vossas pastas e ficheiros.

A utilização do Office Live Files é simples e intuitiva. Seleccionem os ficheiros que pretendem editar e eles são descarregados para o vosso PC. No final das alterações ao gravarem, o ficheiro é enviado novamente para o serviço Live.

Desta forma conseguem ter as normais funcionalidades que o Office vos dá, usando o alojamento que a Microsoft disponibiliza. Conseguem ainda ter a totalidade das funcionalidades destes softwares, em comparação com o que é disponibilizado no Office Web Apps.

A sua utilização é em tudo idêntica ao que é disponibilizados no serviço Offisync. Vejam no vídeo abaixo a forma simples de utilização:

Se ainda não são adeptos a 100% da migração dos vossos serviços para a Internet mas gostam de ter os vossos documentos arrumados e disponíveis em qualquer lado esta é sem dúvida uma excelente alternativa. Usem este serviço para complementarem a utilização na Cloud.

Não sendo a alternativa perfeita é a forma de terem o melhor dos dois mundos, ou pelo menus uma alternativa, se assim o pretenderem.

Artigos relacionados:

Licença: Freeware
Sistemas Operativos:
Download: Office Live Files 1.2.1 [2.20MB]
Homepage: Office Live Files

Desenvolvimento para Windows Phone 7 – Introdução

Desenvolvimento para Windows Phone 7 – Introdução

Criado por Vítor M. em 24 de Janeiro de 2011 | 13 comentários

Por Helder Ferreira para o PPLWARE.COM
Como Developer por profissão, mais orientado às plataformas de desenvolvimento Microsoft nomeadamente ASP.Net, Silverlight e mais recentemente em Windows Phone 7, tracei o objectivo de dinamizar uma nova secção sobre “desenvolvimento para Windows Phone 7″. Vamos debruçar na configuração do sistema para dar início a esse desenvolvimento e criação de aplicações para o mesmo.

Visão Geral

Muitos consideram o Windows Phone 7 como sendo o sucessor do Windows Mobile 6.5, e mesmo que o seja em termos de ciclo de vida do produto, são fundamentalmente completamente distintos do ponto de vista operativo.

No “velhinho” Windows Mobile tínhamos a vantagem do sistema ser extremamente personalizável mas em muitos casos isso criava instabilidade obrigando-nos muitas vezes ao conhecido “soft reset”.

No extremo oposto temos agora o Windows Phone 7, um sistema WYSIWYG “what you see is what you get”, que por si torna o sistema menos flexível mas ganha em termos de estabilidade e velocidade desde o momento que ligamos o dispositivo e mesmo após várias horas de uso intensivo do mesmo. Esta questão é um ponto de viragem com o passado, o facto de aplicação após aplicação o sistema mantém a velocidade sempre a um nível espantoso.

É claro que muitos podem afirmar que o sistema está limitado a uma resolução, a um interface, a um teclado, e a requisitos de hardware estabelecidos pela empresa de Seattle, mas ao fazer isto a Microsoft acaba por controlar a experiência do utilizador e manter um nível de utilização uniforme e controlado.

As ferramentas de desenvolvimento

Neste ponto a Microsoft investiu bastante na criação de um ambiente integrado para o desenvolvimento de aplicações para o novo sistema, para além de serem ferramentas que a maior parte dos programadores. Net já estarem perfeitamente ambientados.

Existe mesmo um pack, gratuito, que instala todas as ferramentas necessárias para o início do desenvolvimento, “The Windows Phone Developer Tools” inclui o seguinte:

  • Visual Studio 2010 Express for Windows Phone
  • Windows Phone Emulator Resources
  • Silverlight 4 Tools For Visual Studio
  • XNA Game Studio 4.0
  • Microsoft Expression Blend for Windows Phone

Estas ferramentas permitem desde a criação, codificação, testes e até um tratamento do aspecto gráfico da aplicação com o “Expresion Blend”. Estão disponíveis em inglês, francês, Italiano, alemão, e espanhol, infelizmente neste momento ainda não estão disponíveis em português.

Todos os links para o download destas ferramentas encontram-se no final do artigo.

Tecnologia de programação

A plataforma de programação permite a utilização de duas plataformas para o desenvolvimento de aplicações:

  • Silverlight – Ideal para a criação de Rich Internet Applications, ideal para a criação de aplicações mais rapidamente, com controlos disponibilizados pela framework que assegura a integração com o sistema a nível visual.
    Suporta a criação de aplicações em C# ou VB.
  • XNA Framework – mais vocacionada para a criação de jogos para a plataforma gaming da Microsoft.

É de notar que esta nova plataforma não é compatível com a plataforma Windows mobile 6.x, ou seja, quem já tinha desenvolvido aplicações para a versão anterior tem que efectuar a migração.

Este ponto é controverso, pois quem já tinha investido na criação de aplicações para a plataforma móvel Windows, tem agora que disponibilizar mais tempo para as adaptar a estas novas plataformas.

Conclusão

A Microsoft renova assim a sua proposta a nível móvel, introduzindo conceitos completamente novos em comparação com a entrega anterior, mudando até completamente, o rumo seguido até agora.

A utilização de ferramentas de desenvolvimento já muito conhecidas na criação de aplicações para a plataforma Windows faz com que a curva de aprendizagem seja bastante pequena, permitindo o foco na idealização e maturação das aplicações. A utilização nas aplicações dos novos conceitos disponibilizados pelos equipamentos mais recentes, geolocalização por exemplo, é efectuada de uma forma muito mais simplificada relativamente à proposta anterior.

Nos próximos artigos irei aprofundar alguns destes conceitos falados anteriormente, e após uma breve apresentação das ferramentas de desenvolvimento, vamos colocar as “mãos na massa” e começar a desenvolver aplicações para esta nova plataforma.

Não hesitem a enviar sugestões e as vossas opiniões.

Links

Ferramentas de programação: App Hub Tools
Página do portal de desenvolvimento: App Hub