Dica: Como adicionar uma mensagem personalizada ao arranque do Windows 10

O Windows 10 tem muitos segredos e configurações não conhecidas, que melhoram e alteram o comportamento deste sistema. São alterações que podem ser feitas e que ajudam os utilizadores, de uma forma bem positiva.

Hoje vamos mostrar como podem configurar o Windows 10, para que possam apresentar uma mensagem no arranque. Esta será personalizada e bem ao gosto do utilizador. Simples, rápida e muito útil, é assim que descrevemos esta dica.

O Windows 10 não tem forma direta de permitir aos utilizadores de personalizarem grande parte das suas áreas. Estas existem, mas requerem alguma ginástica para ser acedida e ainda mais para serem usadas.

Das muitas possibilidades, uma muito interessante é poder apresentar uma mensagem antes do desbloqueio do Windows. Esta permite dar informações adicionais a qualquer utilizador ou, certamente, ser usada caso percam a máquina.

Criar uma mensagem personalizada no arranque do Windows 10

O passo inicial é o acesso ao editor de registo do Windows 10 (regedit). Vai ser necessário alterar duas chaves de uma área, a onde devem aceder: HKEY_LOCAL_MACHINE > Software > Microsoft > Windows > Current Version > Policies > System.

Windows 10 mensagem arranque personalizada Microsoft

Ai dentro vão encontrar as chaves “legalnoticecaption” e “legalnoticetext“. Ambas devem ser preenchidas e vão ser mostradas na mensagem do arranque do Windows 10.

A primeira, “legalnoticecaption“, é referente ao título da mensagem. A segunda, “legalnoticetext“, corresponde ao texto da mensagem que vai ser mostrada.

Windows 10 mensagem arranque personalizada Microsoft

Após preencherem estes dois campos, devem terminar o processo fechando a janela do regedit. Não é necessário gravar as entradas ou sequer reiniciar o PC. Vai ficar de imediato aplicado e disponível.

Claro que, para verem o resultado da nova mudança que fizeram, só têm de reiniciar o Windows 10. Assim, após o arranque do sistema, e antes da zona de autenticação, a nova mensagem vai estar presente.

Windows 10 mensagem arranque personalizada Microsoft

Como vão poder ver, o título e o texto que definiram antes vai estar presente. Para ultrapassarem esta zona só precisam de carregar no botão OK. Claro que a remoção da mensagem requer apenas que eliminem o conteúdo dos campos “legalnoticecaption” e “legalnoticetext“.

Esta é mais uma prova de que a Microsoft tem no Windows 10 as ferramentas necessárias para que o utilizador personalize este sistema da forma que queira, com muitas mais opções que as visíveis.

Linux Lite 4.4: Um Ubuntu super rápido e ainda mais fácil de usar

No segmento dos sistemas operativos, mais concretamente ao nível do Linux, a oferta é vasta! Neste segmento podemos encontrar distribuições para servidores, para desktops, para mini PCs, para dispositivos da área da Internet das Coisas, etc.

A distribuição que apresentamos hoje chama-se Linux Lite e é uma distribuição muito simples de usar.

Com o passar dos tempos e com a aquisição de novos PCs, vamos guardando no sótão, na garagem ou num sítio escondido lá de casa o nosso PC mais antigo. Aquela caixa já com um pouco de ferrugem, um monitor ainda CRT, um teclado já meio sujo e até um rato com bolinha. Mas porque não dar uma nova vida a essa PC?

Chama-se Lite e tal como o nome sugere é uma distribuição compacta em termos de software e também ao nível do ambiente gráfico. No entanto tal não significa que esta distribuição seja menos poderosa que outras.

A última versão do Linux Lite (versão 4.4) é baseada no Ubuntu e traz como ambiente gráfico o robusto Xfce. Destaque também para o facto de trazer novos ícones e de uma nova versão da popular ferramenta Sound Juicer CD Ripper.

Linux Lite 4.4: Um Ubuntu super rápido e ainda mais fácil de usar

Esta distribuição vem também com o Kernel 4.15.0-45, Thunderbird 60.4.0, LibreOffice: 6.0.7.3, VLC 3.0.4 e Gimp: 2.10.8. Destaque também para o facto de incluir novos temas, novos wallpapers entre outras novidades interessantes.

Apesar de ter a palavra “Lite” na sua designação, esta distribuição ocupa 1,3 GB. Pode instalá-la nativamente numa máquina, recorrer à virtualização, ou então criar uma PEN USB de arranque.

Como requisitos mínimos esta distribuição necessita de uma máquina com CPU a 1 Ghz, 768 MB de RAM e HDD/SD de 8GB.

Linux Lite 4.4

Distribuições Linux

Quem procura uma alternativa no mundo Linux fique a saber que há também um conjunto de distribuições muito interessantes. Aqui ficam as sugestões.

Tendo como base este artigo, hoje propomos 5 interessantes distribuições Linux para os utilizadores que pretenderem abandonar o Windows 10. O desafio é interessante, mas nada que o tempo de utilização não ajude a resolver.

#1 – Zorin OS

Zorin OS é talvez a distribuição Linux mais parecida ao Windows, muito por causa do seu visual e pelo facto do menu iniciar ser muito idêntico ao do Windows 7. Esta distribuição é baseada no popular Ubuntu, o que significa que existe também muito software e muita documentação.

Uma das grandes diferenças entre Zorin OS e outras distribuições é a opção de escolha entre Ambientes de Trabalho, onde o utilizador pode, através do “Zorin Appearance”, alternar entre diversos estilos…daí o conseguirmos ter uma distribuição com um “look and feel” semelhante ao Windows.

#2 – ChaletOS

Chama-se ChaletOS, é baseado no Xubuntu  e é uma das distribuições GNU/Linux que tem estado a ter algum destaque. O ChaletOS ajuda a mudar de Windows para Linux, sem que a mudança seja radical, até porque ao nível da interface as semelhanças são muitas.

Ao nível do software a lista é bastante vasta. O ChaletOS traz o Firefox como browser por omissão, o Transmission para torrents, o Pidgin Internet Messenger como cliente de IM.

#3 – Linux Mint

O Linux Mint é uma das distribuições Linux mais populares do mundo. Para quem quer dar os primeiros passos numa boa alternativa ao sistema operativo Windows e também MacOS, esta é normalmente uma das distribuições Linux sugeridas, mas é também uma das que tem maior comunidade.

#4 – SolusOS

O SoluOS é uma distribuição GNU/Linux moderna para iniciantes neste mundo que oferece um bom suporte para as tecnologias modernas.

Esta distribuição traz como ambiente gráfico o Budgie, várias otimizações ao nível do software integrado e também melhorias na generalidade do sistema que permitem ter ao utilizador uma boa experiência ao nível dos jogos.

#5 –  MX Linux

Para quem procura uma distribuição Linux leve, mas com bom suporte, a nossa sugestão vai para a distribuição MX. A performance é simplesmente fantástica e toda a interface é muito bonita e muito bem organizada. A versão atual da distribuição MX Linux é a 17.1.

 

Chegou o Ubuntu 19.04 “Disco Dingo” Beta!

O Ubuntu é uma das distribuições Linux mais populares do mundo! Tendo servido de inspiração para muitas outras, a distribuição da Canonical tem vindo a perder popularidade para o Manjaro, Mint, MX Linux, entre outras.

Com o lançamento da nova versão, a Canonical espera que o Ubuntu consiga finalmente afirmar-se como uma alternativa ao poderoso Windows! Será que  vai ser desta?

A Canonical lançou recentemente o novo Ubuntu 19.04 Beta. A versão final chegará apenas a 18 de abril, mas até lá os utilizadores poderão experimentar grande parte das novidades desta versão. Mais uma vez não haverá uma versão alpha!

Novidades do Ubuntu 19.04 “Disco Dingo” Beta

Esta nova versão do Ubuntu incluiu várias novidades interessantes das quais se destacam o ambiente gráfico GNOME 3.32Mesa 19.0 e o Linux Kernel 5.0. Esta versão inclui também suporte para a GPU AMD Radeon RX Vega M e suporte total para o Raspberry Pi 3B e 3B+ e também suporte para o SoC Qualcomm Snapdragon 845.

O Ubuntu 19.04 inclui também suporte para a integração com Android via GSConnect. O O GSConnect é uma ferramenta gratuita que permite que um utilizador com um dispositivo Android controle o seu PC com Linux.

Esta ferramenta foi desenvolvida para quem usa sistemas Linux com ambiente gráfico Gnome. Para que tudo funcione, o Linux e o dispositivo Android devem estar ligados à mesma rede de dados. Esta ferramenta não vem por omissão, mas estará disponível nos repositórios.

Como referido, por agora só está disponível a versão beta sendo que a versão final chegará a 18 de abril. Nesse sentido, é aconselhado que não devem colocar esta versão numa máquina em produção.

De acordo com alguns feedbacks, esta versão será provavelmente uma das melhores dos últimos anos, pois, a distribuição está mais leve e otimizada. Experimentem!

Puppy Linux 8.0: Se gosta de velocidade experimente esta distribuição

O Puppy Linux é uma distribuição Linux bastante pequena, muito completa e acima de tudo muito poderosa. Esta é uma distribuição permite transformar qualquer PC (mesmo os mais antigos) numa máquina simples, super rápida e segura.

Recentemente foi lançado o Puppy Linux 8.0. Vamos conhecer as novidades.

O Puppy Linux é uma distribuição que foi desenvolvida por Barry Kauler em 2003. Esta distribuição Linux corre em qualquer máquina e traz já um conjunto de aplicações instaladas e ferramentas de gestão do próprio sistema.

Esta distribuição está disponível para máquinas com arquitetura de 32 bits e 64 bits e ocupa apenas 330 MB, incluindo:

  • Gestor de janelas JWM
  • Gestor de ficheiros ROX
  • Browser Palemoon
  • Claws como cliente de e-mail
  • MPV media player
  • Abiword como ferramenta de edição de texto
  • Gnumeric (um estilo de Excel)

Puppy Linux 8.0: Se gosta de velocidade experimente esta distro

Esta nova versão é baseada no Ubuntu 18.04 Bionic Beaver  e traz várias novidades, das quais se destacam o kernel 4.19.23  e atualizações de várias aplicações/ferramentas populares como é o caso do Palemoon, DeadBeef, quickpet, pburn, JWM, change_kernels, Gnumeric, AbiWord, MPV, Samba, jwmdesk, Geany, Simple Ccreen Recorder, mtPaint, dunst, Transmission, pkg, uget, osmo etc.

Puppy Linux 8.0: Se gosta de velocidade experimente esta distro

Vejam o Puppy Linux em ação

Para quem pretender colocar facilmente o Puppy numa PenUSB pode usar a ferramenta Lili USB Creator (veja aqui como fazer). Experimentem e estejam atentos ao desempenho do sistema que de facto impressiona.

Puppy Linux 8.0

Como configurar um endereço IP no Linux CentOS 7?

O CentOS (Community enTerprise Operating System) é uma distribuição Linux de classe Enterprise, baseada em código fonte gratuitamente distribuído pela Red Hat e mantida pelo projeto CentOS. Para quem necessita de estabilidade, este é o sistema operativo ideal.

Hoje vamos ensinar como podem proceder à configuração de um endereço IP, máscara, gateway e DNS no CentOS 7.

O Centos/RHEL 7.0 adotou o systemd, que é um substituto para a daemon init do Linux (mas é compatível com os scripts init do SysV e LSB) e que oferece várias melhorias ao nível da gestão de processos, gestão da dependência de serviços, inicialização do sistema e desempenho da própria shell.

Esta alteração resultou na mudança de alguns comandos, obrigando os utilizadores a conhecerem como gerir serviços, processos, etc.

Como configurar um endereço IP no Linux CentOS 7?

Configurar a rede via comando nmtui

Para configurar e ver as respetivas configurações de rede o utilizador tem no CentOS 7 vários comandos tais como ip, ifconfig, nmtui, nmcli ou route.

A forma mais simples de configurar a rede e o nome da máquina é usado o comando nmtui.Como configurar um endereço IP no Linux CentOS 7?

Depois basta ir a Edit e, caso pretendam proceder a uma configuração manual devem selecionar IPv4 e depois Manual. Para adicionar as configurações carreguem em Show.

Para uma configuração via servidor DHCP, escolham a opção Automatic.

Nota: Para este tutorial apenas mostramos como proceder à configuração IPv4.Como configurar um endereço IP no Linux CentOS 7?

Em seguida indiquem as configurações de rede que pretendem. Após a configuração selecione a opção OK que se encontra no final da interface.

Em seguida façam Activate a connection

Caso pretendam forçar as novas configurações, podem também, a qualquer altura, usar o comando:

service network restart

Para verem a configuração podem usar o comando ip addr

No caso do nome pode ainda usar (adicionalmente) o comando nmtui-hostname.

Configuração via Linha de Comandos

Além do utilitário nmtui, podem também configurar os parâmetros de rede via linha de comandos. Para isso basta aceder ao ficheiro de configuração (no nosso caso /etc/sysconfig/network-scripts/ifcfg-eth0)

Para editarem o ficheiro pode usar um editor de texto como o vi, nano, ou outro.

Para a configuração manual, devem indicar os seguintes parâmetros:

BOOTPROTO=static
ONBOOT=yes
 
IPADDR=192.168.10.27
NETMASK=255.255.240.0
GATEWAY=192.168.31.254
DNS1=8.8.8.8

Depois de proceder às configurações, gravem a informação e reiniciem o serviço associado à rede.

systemctl restart network

Caso pretendam definir um nome editem o ficheiro /etc/sysconfig/network

HOSTNAME=pc1.pplware.com
DNS1=8.8.8.8
DNS2=8.8.8.4
SEARCH=pplware.com

Dica: Como melhorar o som dos seus headphones no Windows 10

As muitas melhorias e novidades que a Microsoft tem colocado no Windows 10 cobrem muitas áreas e vários pontos. Se muitas são dedicadas a todos os utilizadores, algumas estão focadas em públicos alvos muito específicos.

O caso do Windows Sonic é um deles, dirigido a todos os amantes do som e da música. Vamos mostrar como podem melhorar o som dos headphones no Windows 10.

Com a Creators Update, a Microsoft trouxe uma novidade ao Windows 10 que ainda poucos usam. O Windows Sonic consegue melhorar de sobremaneira o som de qualquer headphones, criando áudio 3D e uma sensação de espaço virtual.

Com esta adição, qualquer headphones podem ser melhorados recorrendo apenas a software e aos algoritmos que a Microsoft colocou no Windows 10. Vamos ver como o podem ativar.

Como ativar o Windows Sonic no Windows 10

O Windows Sonic estará desativado no Windows 10, mas qualquer um o pode ativar e usar. Para tal só precisam de clicar com o botão direito do rato no ícone do som do Windows, alojado na barra de tarefas.

Windows Sonic Microsoft headphones Windows 10 som

No menu que for aberto vão encontrar a opção Som espacial. Esta deve ter a indicação de estar desativada. Podem confirmar entrando neste sub-menu e vendo a opção selecionada.

Para a ativar devem apenas carregar na opção Windows Sonic for Headphones. De imediato o Windows Sonic fica ativo e a ser usado. Esta informação surge também no menu anterior.

Windows Sonic Microsoft headphones Windows 10 som

Testar o Windows Sonic da Microsoft com uns headphones

Agora que têm esta opção ativa no Windows 10, devem ligar uns headphones e colocar a tocar ou um vídeo ou uma música. De imediato vão notar diferença, com o som a ser mais abrangente e a dar ao utilizador uma sensação maior de espaço.

Com esta pequena melhoria vão conseguir tirar ainda mais do Windows 10, graças ao que a Microsoft conseguiu. Sem qualquer aplicação extra, o som do vosso computador será atualizado e soará ainda melhor.

Dica: Faz ideia há quanto tempo o seu Windows 10 está ligado e a funcionar?

Controlar o Windows 10 e dele tirar toda a informação possível é uma tarefa que nem todo conseguem. Se muitos se preparam com ferramentas externa e mais fáceis, outros preferem obtê-la diretamente do sistema.

Um exemplo é saber há quanto tempo o Windows 10 está ligado e a funcionar. O Windows 10 tem várias formas de o saber e hoje apresentamos 3 totalmente diferentes e práticas.

Um comando que temos de forma simples no Linux, o uptime, “não está presente no Windows”. Esta lacuna leva a que tenhamos de ser criativos no que toca a obter esta informação. Ela está presente, mas precisa saber onde a obter.

Usando a interface do Windows 10

A primeira forma que vamos mostrar usa uma área bem conhecida. Falamos do Gestor de Tarefas a que qualquer utilizador sabe aceder. Basta um clique com o botão direito do rato na barra de tarefas e esta opção surge.

Windows 10 tempo ligado funcionar

Uma vez aberto o Gestor de Tarefas, só precisam de aceder ao separador Desempenho. Aqui vão ter presente muita informação associada aos recursos do vosso computador.

No final desta janela vão encontrar a área Tempo ativo. Aqui têm a informação do tempo a que o vosso PC está ligado. Esta informação é atualizada em tempo real.

Usando o fiel e velhinho DOS

Uma segunda opção, igualmente válida, é a utilização do DOS. Não existe um comando direto, mas esta informação está presente num outro que acumula muito mais dados sobre o Windows 10.

Windows 10 tempo ligado funcionar

systeminfo | find "System Boot Time"

Com o comando acima vão ver surgir uma linha onde está a informação procurada. Aqui temos acesso à data e hora em que o Windows 10 arrancou, de forma bem clara.

Usando a moderna e alternativa PowerShell

Por fim, e porque a modernidade deste sistema está em todo o lado, temos a PowerShell. Também aqui, com um simples comando, temos acesso a informação importante e detalhada.

Windows 10 tempo ligado funcionar

(get-date) - (gcim Win32_OperatingSystem).LastBootUpTime

Com este comando que mostramos antes, podemos aceder ao tempo que passou desde o arranque do Windows. A informação está segmentada, com dados de dias, horas, minutos, segundos e milissegundos.

Como podem ver acima, o Windows tem muitas e boas ferramentas que podem e devem ser usadas. Dão aos utilizadores tudo o que precisam, sem terem de recorrer a fontes externas ou a apps de terceiros.

Dica: Aumente a velocidade do Windows 10 ativando a correção Retpoline

Quando o Spectre foi descoberto nos processadores, depressa se concluiu que a sua correção iria ter impacto no Windows e nos restantes sistemas operativos. Este problema confirmou-se com o tempo, sem uma solução aparente.

A Microsoft tratou agora deste problema, ao trazer o Retpoline para o Windows 10. Esta correção pode já ser ativada e vai trazer melhorias visíveis ao Windows 10. Veja como a ativar.

Assim que as primeiras correções para o Spectre foram lançadas, de imediato foram conhecidos os problemas que traziam. Na maioria dos casos o que aconteceu foi uma abrandar dos sistemas operativos.

A Microsoft, na atualização 1809, introduziu uma nova correção, que consegue ganhos na ordem dos 25%. O Retpoline não está ativo nativamente, mas qualquer utilizador pode fazê-lo de forma simples.

Como ativar o Retpoline no Windows 10

Ativar o Retpoline no Windows 10 é extremamente simples. Basta que executem os dois comandos abaixo numa janela de DOS com permissões de administrador. De imediato ficam prontos a recuperar a velocidade este sistema operativo.

reg add "HKLM\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\Session Manager\Memory Management" /v FeatureSettingsOverride /t REG_DWORD /d 0x400
reg add "HKLM\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\Session Manager\Memory Management" /v FeatureSettingsOverrideMask /t REG_DWORD /d 0x400

Logo após executarem os 2 comandos, é necessário que o Windows 10 seja reiniciado logo após. Só desta forma as alterações aplicadas vão ser assumidas no sistema operativo.

Windows 10 Retpoline Microsoft Spectre correção

Ativar o Retpoline no Windows Server da Microsoft

Também no Windows Server o Retpoline pode ser ativado de forma simples. Mais uma vez bastará executar os 2 comandos abaixo numa janela de DOS com permissões de administrador.

reg add "HKLM\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\Session Manager\Memory Management" /v FeatureSettingsOverride /t REG_DWORD /d 0x400
reg add "HKLM\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\Session Manager\Memory Management" /v FeatureSettingsOverrideMask /t REG_DWORD /d 0x401

Tal como no Windows 10, também apenas só após o reiniciar do Windows as alterações vão ser assumidas. Desse modo, devem desligar e ligar o Windows Server para recuperarem algum do desempenho do Windows.

Validar que o Retpoline está aplicado no Windows

Por fim, e para confirmar que foi bem aplicado, devem usar o script de PowerShell que a Microsoft disponibiliza. O Get-SpeculationControlSettings pode ser encontrado no GitHub.

Windows 10 Retpoline Microsoft Spectre correção

O Retpoline foi criado pela Google com o fim de combater de forma mais eficiente o Spectre. Depois de vários testes no programa Insiders, chegou com a versão 1809, lançada no início de março. Se já tem esta nova versão, e o seu hardware suportar, deve mesmo ativar esta correção.

Dica: Como configurar a autenticação por imagem no Windows 10

As diferentes camadas de segurança que a Microsoft colocou no Windows 10 conseguem proteger este sistema operativo. A primeira dela, a autenticação dos utilizadores, é provavelmente a principal.

O Windows 10 oferece muitas formas de autenticação, com algumas a serem mais conhecidas. Hoje trazemos uma menos usada e tão capaz como as restantes. Falamos da autenticação por imagem. Vamos ver como esta se configura.

A Microsoft está decidida a acabar com as passwords, como já o mostrou. Para isso dotou o Windows 10 de várias formas de autenticação biométrica ou física. Uma delas, a autenticação por imagens, dá ao utilizador a possibilidade de desenhar o seu acesso ao Windows.

Como ativar a autenticação por imagem

O primeiro passo a ser dado é o acesso às Definições do Windows 10. Ai, devem procurar a opção Contas e o separador Opções de início de sessão.

Windows 10 autenticação imagem gestos palavra passe

De seguida, nesta nova área onde acederam, vão encontrar as várias formas de autenticação do Windows 10. A que procuram é Palavra passe por imagem. Devem avançar carregando no botão Adicionar.

Como configurar a autenticação por imagem

Para iniciar o processo de configuração o Windows 10 irá pedir a autenticação na conta que estão a usar. Devem por isso colocar a vossa palavra passe.

Windows 10 autenticação imagem gestos palavra passe

De seguida, e para personalizar este processo, podem escolher a imagem que será mostrada e onde vão realizar os gestos/desenhos para se autenticarem.

O Windows deixa que escolham qualquer imagem que esteja guardada localmente. Escolham a vossa preferida e carreguem na opção Utilizar esta imagem.

Windows 10 autenticação imagem gestos palavra passe

O passo seguinte é a definição dos gestos em cima da imagem. São pedidos 3 gestos, sejam eles linhas ou círculos, em diferentes zonas da imagem. Esta passará a ser a nova palavra passe do Windows.

Para confirmar, devem repetir os gestos que usaram para a nova palavra passe. O contador presente na barra esquerda ajuda neste processo.

Windows 10 autenticação imagem gestos palavra passe

Caso pretendam, podem repetir o processo até se sentirem confortáveis. O Windows 10 dá alguma margem de erro, pelo que os desenhos não necessitam de ser perfeitamente iguais.

A autenticação por gestos e sem palavra passe

No final, e após a correta definição dos gestos a usar, o Windows 10 irá notificar o utilizador, dando-lhe os parabéns pela execução desta configuração.

Windows 10 autenticação imagem gestos palavra passe

Desse momento em diante, sempre que quiserem autenticar no Windows 10, será mostrada a imagem para que desenhem o padrão que definiram para aceder ao sistema.

Pode não ser o método mais seguro, mas é certamente um dos mais simples. Pode ser usado em complemento com outros mais seguros, para os momentos de maior urgência no acesso ao Windows.