Domingo é dia de dicas do Microsoft Word

Domingo é dia de dicas do Microsoft Word

Criado por Pedro Pinto em 28 de Agosto de 2011 | 13 comentários

Por Miguel Goyanes para o PPLWARE

Como é habitual ao Domingo, hoje trazemos mais algumas dicas sobre a potente ferramenta que é o Microsoft Word. Uma vez que esta rubrica tem vindo a tornar-se cada vez mais popular, decidimos torná-la uma rubrica de fim de semana e “aberta” a todos os leitores que pretendam contribuir.

Hoje vamos falar da utilização de fórmulas em tabelas.

word_000

As versões mais recentes do Word permitem que sejam utilizadas algumas das funções do Excel e assim possibilitam a realização de cálculos e operações lógicas em tabelas.

As fórmulas são inseridas nas Ferramentas de tabela, no separador Esquema, grupo Dados, comando Fórmulas.

formulas_00

Independentemente do idioma do Word as fórmulas são inseridas em Inglês, ou seja, se o pretendido for inserir uma SOMA a fórmula a utilizar será SUM.

Na tabela seguinte estão descritas as funções que podemos utilizar bem como uma pequena descrição e exemplo da função.

FUNÇÃO
O QUE FAZ
EXEMPLO
DEVOLVE

ABS()
Calcula o valor absoluto do valor entre parênteses
=ABS(-22)
22

AND()
Avalia se os argumentos entre parênteses são todos TRUE.
=AND(SUM(LEFT)<10;SUM(ABOVE)>=5)
1,
se a soma dos valores à esquerda da fórmula (na mesma linha) for menor
que 10 e a
soma dos valores acima da fórmula (na mesma coluna, excluindo qualquer
célula de cabeçalho) for maior ou igual a 5; caso contrário, 0.

AVERAGE()
Calcula a média de itens identificados entre parênteses.
=AVERAGE(RIGHT)
A
média de todos os valores à direita da célula de fórmula, na mesma
linha.

COUNT()
Calcula o número de itens identificados entre parênteses.
=COUNT(LEFT)
O
número de valores à esquerda da célula de fórmula, na mesma linha.

DEFINED()
Avalia se o argumento entre parênteses é definido. Devolve 1 se o argumento
tiver sido definido e avalia sem erro; devolve 0 se o argumento não tiver sido definido ou devolve um erro.
=DEFINED(resultado_bruto)
1,
se resultado_bruto tiver sido definido e avalia sem erro; caso
contrário, 0.

FALSE
Não
aceita argumentos. Devolve sempre 0.
=FALSE
0

IF()

Avalia o primeiro argumento. Devolve o segundo argumento se o primeiro argumento for verdadeiro; devolve o terceiro argumento se o primeiro argumento for falso.

NOTA
Necessita de três argumentos.

=IF(SUM(LEFT)>=10;10;0)
10,
se a soma dos valores à esquerda da fórmula for, pelo menos, 10; caso
contrário, 0.

INT()
Arredonda o valor entre parênteses para o número inteiro mais próximo.
=INT(5,67)
5

MAX()
Devolve o valor máximo dos itens identificados entre parênteses.
=MAX(ABOVE)
O
valor máximo encontrado nas células acima da fórmula (excluindo
quaisquer linhas de cabeçalho).

MIN()
Devolve o valor mínimo dos itens identificados entre parênteses.
=MIN(ABOVE)
O
valor mínimo encontrado nas células acima da fórmula (excluindo
quaisquer linhas de cabeçalho).

MOD()
Assume dois argumentos (têm de ser números ou devolver números). Devolve o resto após o segundo argumento ser dividido pelo primeiro. Se o resto for 0 (zero), devolve 0.0
=MOD(4;2)
0.0

NOT()
Assume um argumento. Avalia se o argumento é verdadeiro. Devolve 0 se o
argumento for verdadeiro, 1 se o argumento for falso. Utilizado maioritariamente numa fórmula IF.
=NOT(1=1)
0

OR()
Assume dois argumentos. Se um for verdadeiro, devolve 1. Se ambos forem
falsos, devolve 0. Utilizado maioritariamente numa fórmula IF.
=OR(1=1;1=5)
1

PRODUCT()
Calcula o produto dos itens identificados entre parênteses.
=PRODUCT(LEFT)
O
produto da multiplicação de todos os valores das células à esquerda da
fórmula.

ROUND()
Assume dois argumentos (o primeiro argumento tem de ser um número ou devolver um número; o segundo argumento tem de ser um número inteiro ou devolver um número inteiro). Arredonda o primeiro argumento para o número de dígitos especificado pelo segundo argumento. Se o segundo argumento for maior que zero (0), o primeiro argumento é arredondado para o número de dígitos especificado. Se o segundo argumento for zero (0), o primeiro argumento é arredondado para o número inteiro mais próximo. Se o
segundo argumento for negativo, o primeiro argumento é arredondado à esquerda do decimal.

=ROUND(123.456;
2)

=ROUND(123.456;
0)

=ROUND(123.456;
-2)

123.46

123

100

SIGN()
Assume um argumento que tem de ser um número ou devolver um número. Avalia se o item identificado entre parênteses é maior que, igual a ou menor que zero (0). Devolve 1 se for maior que zero, 0 se for zero, -1 se for menor que zero.
=SIGN(-11)
-1

SUM()
Calcula a soma dos itens identificados entre parênteses.
=SUM(RIGHT)
A soma dos valores das células à direita da fórmula.

TRUE()
Assume um argumento. Avalia se o argumento é verdadeiro. Devolve 1 se o argumento for verdadeiro, 0 se o argumento for falso. Utilizado maioritariamente numa fórmula IF.
=TRUE(1=0)
0

No vídeo seguinte é demonstrado como:

  • Inserir fórmulas;
  • Usar os argumentos posicionais;
  • Actualizar as fórmulas (individualmente, todas de uma tabela ou todas de um documento);
  • Bloquear ou desbloquear uma fórmula;
  • Fazer referência a células ou intervalos de células;
  • Usar mais do que uma função na mesma fórmula;
  • Usar marcadores;
  • Relacionar células de duas ou mais tabelas;
  • Devolver texto (usando a fórmula IF).

Atenção: Devido ao tamanho é preferível ver em modo de ecrã completo e em 720p.

Arquivado na categoria: Tutoriais, Word

School Assistant – O Android ajuda-te na Escola/Universidade

School Assistant – O Android ajuda-te na Escola/Universidade

Criado por Pedro Pinto em 9 de Setembro de 2011 | 150 comentários

Tudo aquilo que um estudante/professor precisa para se manter organizado cabe no bolso

Ainda há recentemente pouco tempo, quando era estudante, lembro-me que gostava de ter tudo sempre bem organizado. Para isso, usava uma folha onde além do horário incluía também um calendário que servia para marcar as frequência e exames. Por várias pesquisas que fiz, nunca consegui arranjar uma aplicação que satisfizesse as minhas necessidades enquanto estudante. Os tempos mudaram, e na sequência do nosso artigo 5 app’s de regresso às aulas para iOS e Mac OS o nosso leitor Miguel Oliveira deu-nos a conhecer o School Assistant para Android.

assistan_00

O School Assistant permite organizar facilmente o dia-a-dia escolar. De uma forma geral,  o School Assistant permite guardar o nosso horário, registar as datas de testes e trabalhos, com suporte alertas quando estas se aproximam, registar as datas das férias e feriados, possibilidade de registar as notas das disciplinas e produzir gráficos de desempenho, entre muitas outras funcionalidades.

assistan_01
Para usar o School Assistant é necessário começar por criar as disciplinas, indicando o nome da mesma e a informação do professor, numero de contacto, e-mail e site da disciplina.

assistan_02

Depois de criadas as disciplinas, podemos inserir o horário, definir datas para trabalhos e avaliações, etc.

assistan_03

Além das funcionalidades já apresentadas, o School Assistant permite ainda produzir gráficos relativamente a médias por disciplina, médias por disciplina num semestre, média por semestre, média por semestre de uma disciplina, notas finais, etc.

assistan_04

O School Assistant disponibiliza ainda várias opções de configuração das quais salientamos as notificações, suporte para widgets, distinguir aulas práticas das teóricas, definir palavra-passe para proteger os dados (útil para os pais não saberem as notas :) ), formato das notas, várias personalizações a nível de calendário, etc.

Permissões:
O School Assistant tem permissão para ler os contactos para poder associá-los a grupos de trabalho, infelizmente esta função ainda não está 100% operacional em alguns dispositivos.
Também pode iniciar automaticamente no arranque para poderes ser notificado acerca de qualquer evento próximo e para poder actualizar os widgets. O impedimento do modo de inactividade é apenas realizado durante 1 segundo (ou menos) no início e no fim de cada aula e à meia-noite para poder actualizar os teus dados e pôr o telemóvel em silêncio, portanto não te preocupes que a bateria não será gasta por causa disso.
A permissão para escrever no cartão SD é necessária para se exportar (backups) e importar dados.A permissão de acesso à Internet e de verificação do estado da rede são necessárias para os anúncios.

Brevemente na(s) próxima(s) versão(ões):

  • Melhoramentos no calendário incluindo uma melhor gestão da memória RAM
  • Enviar/partilhar eventos
  • Controlo de faltas
  • Novo widget
  • Posibilidade de escolha entre cores ou ícones a associar às disciplinas
  • Horário do gabinete do professor
Ganha o School Assistant +

O School Assistant foi desenvolvido pelo português Gil Castro, a quem o Pplware dá os parabéns pelo excelente trabalho desenvolvido. O School Assistant é totalmente gratuito, no entanto há uma versão com mais algumas funcionalidades e que custa cerca de 1€. Após contacto com o autor da aplicação, vamos oferecer 5 licençasdessa versão de uma forma aleatória aos utilizadores que deixarem um comentário relativo à aplicação. O mini-passatempo terminada Domingo (11-09-2011) às 23h59.

Licença: Freeware
Sistemas Operativos: Android 1.5 +
Homepage: Scholl Assistant [819 KB]

qr_androidAssistant

Arquivado na categoria: Android, Smartphones

Comandos Linux para Totós – Tutorial nº11

Comandos Linux para Totós – Tutorial nº11

Criado por Pedro Pinto em 10 de Setembro de 2011 | 18 comentários

Ora vivam caros linuxianos!!! Cá estamos nós para mais uma rubrica “Comandos Linux para Totós”. Depois do de termos lançado um passatempo no âmbito desta rubrica que contou com cerca de 150 participações (ver aqui) é hora de carregar no acelerador e aprender mais alguns comandos linux. No futuro iremos ter mais passatempos idênticos, estejam atentos!

Lá vamos nós para  mais uma viagem no “terminal preto”?  Lets go…runlevel 3!

totos

Uma das funcionalidades que uso com alguma regularidade no terminal linux é o redireccionamento de entradas e saídas (E/S). De uma forma geral, qualquer comando ou programa que seja executado está sempre associado a três ficheiros virtuais de E/S:

  • standard-input (stdin – ler informação)
  • standard-output (stdout – enviar informação)
  • standard-error (stderr – enviar mensagens de erro)

Operadores para redireccionamento de entradas e saídas

redirect_linux

Alguns exemplos

Redireccionar o output de um comandos para dentro dentro de um ficheiro

pplware@pplware:~$ ls –la > ppinto.txt
pplware@pplware:~$ echo “Pedro Pinto” > ppinto.txt

Redireccionar o conteudo de um ficheiro para dentro de um comando

pplware@pplware:~$ cat < teste.txt

Em determinadas ocasiões é útil redireccionar a “saída de erro” para um ficheiro

pplware@pplware:~$ find / -name passwd 2> erros.txt

Nota: Para redireccionar a “saída normal” e a saída de erro” utiliza-se &>

Existe também um ficheiro “especial” para onde podemos redireccionar as saídas (output) que não se pretender guardar.

pplware@pplware:~$ cat > /dev/null
pplware@pplware:~$ cat exp0 > /dev/null

O redireccionamento de de entradas e saídas é uma excelente funcionalidade que está presente no terminal Linux. Desta forma, podemos conjugar várias informações num único output. Como desafio queremos saber o que faz o seguinte comando:

cat <<.>texto.txt

Num próximo artigo vamos falar sobre pipes e ver mais alguns exemplos.
Artigos relacionados

Arquivado na categoria: Linux, Tutoriais

Apresentação Windows 8

Apresentação Windows 8

Criado por Pedro Simões em 13 de Setembro de 2011 | 261 comentários

Actualizado às 19:00

Como já vem sendo amplamente comentado, a Microsoft Corporation prepara-se para dar a conhecer publicamente a primeira “preview” estruturada do novo Windows 8, que já corre estável em diversos tipos de dispositivos.

Este anúncio acontece hoje, a partir das 17h00, em directo de Anaheim na Califórnia, onde decorre a conferência anual para programadores de tecnologia Microsoft, rebaptizada como BUILD on WINDOWS

Disponibilizamos a todos os leitores do Pplware um espaço para que possam ver a conferencia e para que possam comentar com os outros leitores o que forem vendo nesta grande apresentação.

Assistam da primeira fila ao desenrolar das novidades que este novo sistema operativo da Microsoft vai trazer e vejam o que vos espera.

Deixem os vossos comentários na zona que disponibilizamos e esperamos que seja uma discussão salutar.

Actualização:

De entre as profundas alterações que o Windows 8 irá trazer aos utilizadores, a Microsoft adianta estas:

  • Interface totalmente sensível ao toque
  • Experiência de utilização baseada em Apps, que agilizam e facilitam a execução de tarefas sequenciais e integradas
  • Total integração entre dispositivos, quer a informação resida em dispositivos físicos, quer na “cloud” (internet). Integração com um número acrescido de tipos de hardware o que abre novas possibilidades, por exemplo, na experiência de jogo
  • Mantém e melhora a robustez e fiabilidade apanágio do Windows 7
  • Abre novas oportunidades (de negócio) para profissionais de desenvolvimento, com a nova “Windows Store” (loja de aplicações para Windows)
  • Maior leque de idiomas cobertos

E, talvez a mais aguardada das potencialidades …

  • Abre a porta a uma nova geração de hardware, suportando chips ARM, o que significa que o mesmo Windows pode correr na mais ampla gama de dispositivos

Homepage: Build Windows

Arquivado na categoria: Informação, Windows

Comandos Linux para Totós – Tutorial nº12

Comandos Linux para Totós – Tutorial nº12

Criado por Pedro Pinto em 14 de Setembro de 2011 | 31 comentários

Ora vivam caros linuxianos!!! Cá estamos nós para mais uma rubrica “Comandos Linux para Totós”. Se bem se lembram, no comandos Linux para totós – tutorial nº11 (ver aqui) ensinamos como redireccionar facilmente o output de um comando para um ficheiro. A pedido de um leitor hoje vamos ensinar a visualizar o conteúdo de um ficheiro usando algumas ferramentas que fazem parte da shell Linux.

totos

Tal como referido, hoje vamos aprender a visualizar a informação de um determinado ficheiro de texto. Muitas são as ferramentas que estão disponíveis para esse efeito mas hoje vamos conhecer as 2 ferramentas que para mim são essenciais no dia a dia: cat e tail.

Se me perguntarem quanto uso o cat e quanto o uso o tail a resposta é simples: se pretender visualizar a informação de um ficheiro uso o cat. Por outro lado, se um determinado ficheiro estiver a ser constantemente actualizado (ex. logs)  uso o tail para aceder a toda a informação em tempo real ou para ler parte do mesmo.

Vamos a alguns exemplos

cat – O cat, além de permitir ler visualizar a informação de um ficheiro de texto, permite também concatenar ficheiros e apresentar a informação no standard-output

Apresentar o conteúdo do ficheiro pplware.txt

cat pplware.txt

Apresentar o conteúdo do ficheiro pplware.txt e ppinto

cat pplware.txt ppinto

Juntar o conteúdo do ficheiro pplware.txt e ppinto num só ficheiro com o nome tudo.txt

cat pplware.txt ppinto > tudo.txt

Acrescentar a informação do ficheiro linux_totos.txt ao ficheiro tudo.txt

cat linux_totos.txt >> tudo.txt

tail – o tail permite visualizar parte da informação do ficheiro. Existem dois argumentos que considero fundamentais na utilização deste comando. O «onde podemos de imediato indicar o número de linhas a serem apresentadas a contar do fim e o «f» (follow) que permite ter sempre a ultima informação de um ficheiro  actualizada no standard-output

Ver as ultimas 15 linhas do ficheiro pplware.txt

tail –n 15 pplware.txt

Ver em tempo real o log das informações do sistema

tail -f /var/log/messages

Espero que tenham percebido a utilização destas duas autenticas pérolas e em caso de duvida ou sugestão deixem os vossos comentários que eu terei todo o gosto em vos ajudar. Antes de fechar o artigo deixo aqui um projecto muito interessante.

Já fazem  parte do projecto Doode – Uma rede Linux de amigos? Eu já ando por lá! Aqui fica o endereço:

Doode – Uma rede Linux de amigos – http://doode.com.br/

Artigos relacionados

Arquivado na categoria: Linux, Tutoriais

Windows 8 – Novidades na interface de cópia de ficheiros

Windows 8 – Novidades na interface de cópia de ficheiros

Criado por Pedro Simões em 25 de Agosto de 2011 | 60 comentários

O Windows 8 ainda não surgiu de forma oficial e muito se tem já escrito sobre ele. Promete ser uma verdadeira revolução sobre a forma como trabalhamos e interagimos com o nosso computador.

As novidades têm surgido de forma muito controlada e sempre de forma a tornarem ainda mais apetecível a sua chegada às mãos dos utilizadores. Agora foi apresentada uma novidade relacionada com a cópia de ficheiros e a nova interface para esta função.

A Microsoft criou um blog específico para que possam ser apresentadas as novidades que o Windows 8 vai trazer e é aí que tem feito estes pequenos anúncios. Foi aqui que pudemos encontrar a novidade que agora foi tornada pública. No Blog Building Windows 8 foi apresentado o que será a nova interface de cópia de ficheiros.

Esta nova interface centrou-se na necessidade de tornar o processo de cópia mais simples e conciso, com uma interface única e dando um elevado grau de controlo ao utilizador.

Assim, em vez de termos o normal e actual processo de cópia de ficheiros em que para cada uma é aberta uma nova janela, para podermos acompanhar o processo, passamos a ter todos os processos agrupados numa única janela. Os utilizadores do Windows vão deixa de ter de andar de janela em janela à procura do processo que pretendem acompanhar.

Passa ainda a ser possível pausar uma cópia, retomá-la ou cancela-la. Desta forma vão conseguir determinar qual o processo de cópia que pretendem terminar primeiro. É ainda possível clicar na pasta de origem ou de destino e abrir as pastas correspondentes.

Uma segunda novidade, e que será do agrado de todos, é a possibilidade de termos nessa interface gráficos em tempo real das taxas de transferência que essas cópias estão a ter. Conseguem assim acompanhar melhor essas cópias e caso seja necessário decidir que ficheiros devem prioritizar.

A última novidade que foi apresentada está relacionada com os problemas que existem ao copiar ficheiros para pastas onde existem já ficheiros com o mesmo nome. Até agora éramos brindados com uma simples mensagem a indicar que existiam já ficheiros com o mesmo nome nessa pasta.

A alteração introduzida permite que tenham numa interface única uma pré-visualização dos ficheiros (original e cópia) para que possam comparar e decidir se pretendem sobrepor ou não esses ficheiros.

Estas novidades são apenas mais umas das muitas que o Windows 8 vai trazer quando chegar ao mercado. As promessas de que será um sistema operativo inovador estão a começar a tomar forma e a concretizar-se.

Homepage: Building Windows 8

Wifi Joiner – Ligar a uma rede wifi através de um código QR

Wifi Joiner – Ligar a uma rede wifi através de um código QR

Criado por Pedro Pinto em 26 de Agosto de 2011 | 50 comentários

Actualmente, são muitos os meus amigos que possuem dispositivos móveis como por exemplo iPhone/iPad, smartphones com Android, Blackberrys, etc. Quando os convido para passarem lá por casa, a primeira coisa que me perguntam é qual a senha de acesso para se ligarem a rede. Por questões de segurança, costumo alterar a senha de acesso de mês a mês e então quando passam lá por casa a conversa é sempre a mesma: Pedro, qual o nome da rede??? Qual a senha WPA/WPA2??? xX7#1%pf0as quuuêê???

Para resolver facilmente esta questão decidi criar um código QR!

wifi_00

Já por diversas vezes vos apresentámos as vantagens de usarem códigos QR. Conseguem com eles partilhar informação de forma simples e rápida. Basta criar um código e começar a partilhar com quem pretendem que tenha acesso a essa informação.

No entanto sempre achei que esta tecnologia estava a ser mal aproveitada uma vez que normalmente é apenas usada para partilhar links. Recentemente descobri  um projecto fantástico, com o nome wifi Joiner, que permite incluir num código QR toda a informação que um utilizador necessita para aceder a uma rede wifi. Lá em casa, em vez de andar todas as vezes a dar o SSID da rede e senha agora basta que os meus amigos apontem o leitor QR para o código e a rede no dispositivo é automaticamente configurada.

A utilização do Wifi Joiner é muito simples bastando seguir os seguintes passos:

Passo 1 – Criação do código QR (necessário aceder aqui)  e inserir as informações na nossa rede Wifi (SSID, Network Security Type e Secret Key) onde:

  • SSID – Nome da rede wireless
  • Network Security Type:
    • WPA/WPA2
    • Open
    • WEP
  • Secret Key: chave WPA/WPA2 ou WEP

Depois de inserir as informações, basta carregar em Generate QR Code

wifi_join

Passo2 – No Android basta ter o cliente Wifi Joiner instalado e apontar o cliente para o código QR. Para estabelecer a ligação basta carregar em Connect to network

wifi_01

Ora aqui está uma excelente utilização da tecnologia QR. Experimentam e dêem-nos o vosso feedback.

Licença: Freeware
Sistemas Operativos: Android 1.6 +
Homepage: wifijoiner [272 KB]